Prémios Literários

Prémio Literário José Saramago vai trazer novidades para a sua 12ª edição que terá o vencedor anunciado em 2022

A 12º edição do Prémio Literário José Saramago, cuja atribuição é partilhada entre a Fundação Círculo de Leitores e a Fundação José Saramago, de dois em dois anos, vai trazer várias novidades. As candidaturas decorrerão a partir de Janeiro de 2022, sob pseudónimo, numa plataforma online que será criada para o efeito. Curiosamente, a próxima edição vai coincidir com o ano do centenário de José Saramago.

Já era do conhecimento público, desde a última atribuição, que a próxima edição do Prémio Literário José Saramago iria expandir para os 40 anos (em vez dos actuais 35) a idade-limite dos candidatos àquele galardão. Relembro que o último autor distinguido foi Afonso Reis Cabral, pela autoria do romance “Pão de Açúcar”, em 2019, editado em Portugal pela Dom Quixote em 2018 e no Brasil pela HarperCollins Brasil no ano passado.

Todavia, no dia de ontem, a Fundação Círculo de Leitores, em articulação com a Fundação José Saramago, anunciou através de um comunicado que, a partir da sua 12.ª edição, vai alterar não apenas essa como outra das regras do prémio: a partir de agora, apenas podem concorrer obras de ficção inéditas de autores da lusofonia. Algo que não era possível até aqui, uma vez que o prémio era destinado a obras cuja primeira edição tivesse sido publicada em qualquer país da lusofonia. 

Adicionalmente, o valor monetário do prémio será reforçado, estando agora fixado em 40 mil euros. Instituído para celebrar a atribuição do Prémio Nobel da Literatura a José Saramago em 1998, o galardão valia, até ao momento, 25 mil euros. Outro ponto importante já definido é que a obra vencedora será publicada em Portugal pelo Grupo Porto Editora e no Brasil pela Globo Livros e terá distribuição em todos os países da lusofonia.

“O prémio tem um patrono e mantém-se, mas noutra modalidade.” — Guilhermina Gomes, editora e presidente do júri do Prémio Literário José Saramago

Outra novidade relevante são as alterações no que diz respeito à composição do júri que vai avaliar as obras.

“Como forma de perpetuar o espírito de Saramago, o prémio passará a ter como jurados escritores anteriormente galardoados com o prémio.” — Comunicado enviado para a imprensa

Assim sendo, na próxima edição, onde o vencedor será anunciado no último trimestre de 2022, José Luís Peixoto, Gonçalo M. Tavares, Valter Hugo Mãe, João Tordo e Bruno Vieira Amaral compõem o júri final deste prémio que, há 20 anos, foi “pensado como instrumento para a defesa da língua através do estímulo ao surgimento de jovens escritores”.

Haverá uma primeira triagem dos inéditos recebidos. Posteriormente, entra em cena o comité de leitura, constituído por três professores universitários nomeados pela presidente do júri. A selecção feita por estes académicos irá depois ser avaliada pelo júri constituído pelos escritores. 

Por fim, o regulamento e o processo de apresentação de candidaturas vão ser agora actualizados.

Foto: Afonso Reis Cabral, vencedor da edição de 2019 do Prémio Literário José Saramago, por Francisco Romão Pereira

Também estamos no Instagram:
https://www.instagram.com/sonhandoentrelinhas/

Boas leituras!

About author

Articles

Criativo, Criador do Sonhando Entre Linhas, amo ler, e escrever. Gosto de ler quase todos os géneros literários. Amo autores como Valter Hugo Mãe, Fernando Pessoa, José Saramago, João Pinto Coelho, Itamar Vieira Junior, Jeferson Tenório, entre outros. Desde agosto de 2019, trabalho no Grupo LeYa Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *