Novidades Editoriais

Lançamentos previstos para junho em Portugal (Parte 1)

A dupla Filipe Melo e Juan Cavia, juntamente com os escritores Hermann Hesse, Patrick Ness, Stephen King, Robert Jordan, J. R. R. Tolkien, Fredrik Backman e Terry Eagleton vão, no próximo mês de junho, constituir a guarda de honra que vai receber as estreias de Amanda Gorman, Brit Bennett, C Pam Zhang e Janet Skeslien Charles no mercado literário português.

01.06.2021: “Peter Camenzind”, de Hermann Hesse (ed. Dom Quixote, 208 páginas, com tradução de Isabel de Almeida e Sousa)

Fonte: Publicações Dom Quixote

Sinopse:
Peter Camenzind é um jovem camponês introvertido que ambiciona escrever um grande poema. Com esse objetivo em mente, abandona a sua casa nos Alpes Suíços e parte à procura de novas experiências. Insatisfeito com a sociedade e cheio de anseios por uma vida mais profunda, empreende tentativas intermináveis para descobrir o seu verdadeiro eu. A sua busca por iluminação e autoconhecimento leva-o às tabernas e aos salões literários das principais cidades europeias, pois Camenzind acredita que alcançará o seu ideal estético, a iluminação e o autoconhecimento através de viagens e dos prazeres mundanos. Mas, ao calcorrear a Alemanha, Itália e França, fica cada vez mais desiludido com o sofrimento que vê à sua volta. Depois de alguns amores falhados e de uma amizade marcada pela tragédia, o seu idealismo transforma-se num esmagador desespero, e só voltará a encontrar paz quando, personificando o ideal de São Francisco, decide cuidar de um pobre estropiado meio paralítico que renova o amor de Camenzind pela humanidade e o inspira a procurar a alegria nas pequenas coisas da vida.

Peter Camenzind lembra facilmente outros protagonistas de Hesse, como Siddhartha, Goldmund e Harry Haller. Como eles, Camenzind sofre profundamente e passa por inúmeras jornadas intelectuais, físicas e espirituais.

Sobre o autor:
Nascido em 1877,na pequena cidade de Calw, na orla da Floresta Negra e no estado de Wüttenberg, Hermann Hesse é considerado um dos escritores de língua alemã mais influentes da história da Literatura, tendo vencido o Prémio Nobel de Literatura em 1946. A sua obra inclui romances célebres, como “Peter Camenzind”, “Demian”, Siddhartha, “O Lobo das Estepes” ou “O Jogo das Contas de Vidro”, volumes de contos e ensaios sobre arte e literatura. Os seus livros estão traduzidos em mais de trinta idiomas. A nove de agosto de 1962, veio a falecer, aos oitenta e cinco anos, durante o sono, vítima de uma hemorragia cerebral.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**“Peter Camenzind”, de Hermann Hesse (Dom Quixote, Wook):
https://www.wook.pt/livro/peter-camenzind-hermann-hesse/24737744
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 01-06-2021.

01.06.2021: “A Faca que nos Une” – Trilogia “Chaos Walking”, Livro 1, de Patrick Ness (ed. Gailivro, 440 páginas)

Fonte: Gailivro

Sinopse:
Vencedor do Guardian Children’s Fiction Award

Prentisstown não é uma cidade comum. Não existem mulheres e desde que os seus habitantes foram infetados com o vírus do Ruído, todos conseguem ouvir, e por vezes ver, os pensamentos dos outros habitantes. O barulho é ensurdecedor e não há forma de se manterem segredos. Todd Hewitt é o único rapaz a viver nesta cidade de homens, falta apenas um mês para deixar de ser adolescente. Ele nunca se encaixou nesta sociedade e sente que há algo de estranho e misterioso em Prentisstown.

Um dia, por acaso, encontra um local em completo e absoluto silêncio, que o coloca em perigo. Todd é forçado a fugir antes que seja tarde demais, mas nessa fuga conhece alguém que não deveria existir: uma rapariga.

Ambos terão de se aliar e correr para se manterem vivos, mas como é possível existir um segredo tão terrível e perigoso?
E como poderão sobreviver se os inimigos conseguem ouvir os seus pensamentos?

Sobre o autor:
Patrick Ness nasceu na Virginia em 1971. Publicou o seu primeiro conto na revista Género em 1997 e em 1999, enquanto trabalhava na sua primeira ficção, mudou-se para Londres. Ness foi professor de escrita criativa na Universidade de Oxford e escreveu para jornais como The Daily Telegraph, The Literary Supplement Times, The Sunday Telegraph e The Guardian. Como autor, a trilogia YA sci-fi “Chaos Walking”, destaca-se como a sua obra mais importante. Esta série encontra-se traduzida em mais de 30 países, teve diversas nomeações internacionais e venceu vários prémios literários, dos quais se destacam o Guardian Children’s Fiction Award (livro 1), o Costa Children’s Book of the Year Award (livro 2) e a Carnegie Medal (livro 3). O primeiro livro da trilogia “Chaos Walking”, “A Faca que nos Une” chega agora ao cinema numa grande produção da Lionsgate.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**“A Faca que nos Une” – Trilogia “Chaos Walking”, Livro 1, de Patrick Ness (Gailivro, Wook):
https://www.wook.pt/livro/chaos-walking-patrick-ness/24737747
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 01-06-2021.

01.06.2021: “As Duas Torres” – Trilogia “O Senhor dos Anéis”, Livro 2, de J. R. R. Tolkien (ed. Editorial Planeta Portugal, 456 páginas)

“Uma história muito bem contada, com todos os tipos de cor, movimento e grandeza.” New Statesman

Fonte: Editorial Planeta Portugal

Sinopse:
A Irmandade do Anel separou-se. Frodo e Sam continuam a sua viagem sozinhos, ao longo do grande Rio Anduin sozinhos não, são seguidos, para todo o lado, por uma estranha e misteriosa criatura.

Assim continua o relato clássico iniciado com A Irmandade do Anel, e que atinge o seu extraordinário clímax com O Regresso do Rei.

Nova tradução feita de acordo com as indicações específicas deixadas por Tolkien aos tradutores.

Uma nova edição com uma nova capa, desenhada pelo próprio autor.

Sobre o autor:
Nasceu na África do Sul, de pais ingleses, em 1892. Tinha 4 anos quando o pai morreu e foi já em Inglaterra que fez os seus estudos, concluídos em 1915, na Universidade de Oxford. Alistado no Exército Inglês, combateu na Primeira Grande Guerra e foi vítima da “febre-das-trincheiras”, que o levou a estar hospitalizado durante um ano. A seguir à guerra, trabalhou na equipa que organizou o “Dicionário Inglês de Oxford” e começou a lecionar, primeiro, na Universidade de Leeds, depois, na de Oxford. Tolkien era um especialista do Old English (que vai do séc. VIII a.C. ao séc. XII d.C.) e do Middle English (que vai do séc. XII ao XVI). “O Hobbit”, o seu primeiro livro (já publicara textos académicos, nomeadamente, em colaboração com E. V. Gordon, “Sir Gawain and the Green Knight) escreveu-o em 1937, e a trilogia de “O Senhor dos Anéis” foi publicada nos anos de 1954 e 1955. No entanto, J.R.R. Tolkien viria a morrer, com 81 anos, em 1973.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**“As Duas Torres” – Trilogia “O Senhor dos Anéis”, Livro 2, de J. R. R. Tolkien (Editorial Planeta Portugal, Wook):
https://www.wook.pt/livro/as-duas-torres-j-r-r-tolkien/24764079
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 01-06-2021.

02.06.2021: “Beartown: A Cidade dos Grandes Sonhos”, de Fredrik Backman (ed. Porto Editora, 424 páginas)

Fonte: Porto Editora

Sinopse:
As pessoas dizem que Björnstad, a Cidade do Urso, está acabada. A pequena localidade aninhada nas profundezas da floresta tem vindo lentamente a perder terreno para as árvores, sempre invasoras. Mas junto ao lago existe um velho rinque, construído há gerações pelos trabalhadores que fundaram a cidade.

E esse rinque é o motivo pelo qual as pessoas acreditam que o dia de amanhã será melhor do que o de hoje. A equipa de juniores de hóquei no gelo está prestes a competir nas meias-finais nacionais e tem realmente hipóteses de vencer.

Todas as esperanças e sonhos deste lugar repousam agora sobre os ombros de uma mão-cheia de rapazes adolescentes. Mas ser o responsável pelas ambições da povoação inteira é um fardo pesado, e o jogo das meias-finais torna-se o catalisador de um ato violento, que traumatizará uma rapariga e deixará Björnstad em pé de guerra.

São feitas acusações que, como uma pedrada no charco, percorrem a cidade, afetando todos.

“Beartown” explora os grandes desejos que unem uma comunidade pequena, os segredos que a separam e a coragem necessária para um indivíduo lutar contra a corrente.

Sobre o autor:
Fredrik Backman nasceu em 1981, na Suécia, e foi colunista e blogger antes de se aventurar como romancista. Os seus livros são bestsellers mundiais, com grande sucesso junto do público e da crítica, e várias adaptações ao pequeno e ao grande ecrã. “Beartown” foi adaptado a série televisiva pelo canal de streaming HBO.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**”Beartown: A Cidade dos Grandes Sonhos”, de Fredrik Backman (Porto Editora, Wook):
https://www.wook.pt/livro/beartown-fredrik-backman/24686777
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 02-06-2021.

02.06.2021: “A Sombra Alastra” – Série “A Roda do Tempo”, Livro 4, de Robert Jordan (ed. Bertrand Editora, 1064 páginas)

Fonte: Bertrand Editora

Sinopse:
Existe um mundo de Luz e Sombra onde o Bem e o Mal travam uma eterna batalha. É o mundo da Roda do Tempo, uma das melhores séries de fantasia épica alguma vez escrita.

A Pedra de Tear, invulnerável fortaleza lendária, caiu. Os Amigos do Tenebroso tentam que tudo e todos caminhem para as trevas. Rand al’Thor, o homem que foi proclamado o Dragão Renascido, tem de seguir em frente e cumprir o seu destino: proteger o mundo do regresso do Tenebroso. Felizmente, para ajudar a combater o mal, consegue apoderar-se da Callandor, a Espada que não é Uma Espada, mas as sombras ganham força. Rand terá de alcançar a Fonte Verdadeira, corrompida pelo Tenebroso, o que acarreta perigos terríveis e um poder que o poderá levar à loucura, pondo-o ao serviço do Grande Senhor das Trevas, mas é a única saída para evitar uma calamidade.

Sobre o autor:
Robert Jordan nasceu em 1948 em Charleston, Carolina do Sul. Com quatro anos aprendeu a ler, com a ajuda episódica de um irmão mais velho, e aos cinco anos entrou nas aventuras de Mark Twain e de Júlio Verne. Com vinte anos foi integrado no exército dos Estados Unidos onde realizou duas comissões no Vietname (de 1968 a 1970). Depois do seu regresso, licenciou-se em física e, em 1977, iniciou um percurso como escritor e o seu nome destacou-se sobretudo como autor da série de fantasia épica e bestseller mundial “A Roda do Tempo”, uma das séries mais importantes e mais vendidas na história da fantasia, com mais de 14 milhões de exemplares vendidos na América do Norte. Robert Jordan morreu a 16 de setembro de 2007, após uma corajosa batalha contra uma doença rara.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**“A Sombra Alastra” – Série “A Roda do Tempo”, Livro 4, de Robert Jordan (Bertrand Editora, Wook):
https://www.wook.pt/livro/a-sombra-alastra-robert-jordan/23797286
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 02-06-2021.

02.06.2021: “Montanhas Douradas”, de C Pam Zhang (ed. Bertrand Editora, 280 páginas)

“Sem dúvida, a estreia mais ousada do ano.” — The Guardian

Fonte: Bertrand Editora

Sinopse:
Passado durante a corrida ao ouro na América, gótico e western em partes iguais (com um toque de fábula), “Montanhas Douradas” acompanha Lucy e Sam, que, com apenas doze e onze anos de idade, perderam os pais e partem numa viagem fantasmagórica – em direção a um futuro incerto, mas também em direção a um passado desconhecido -, tendo a paisagem californiana e a sua beleza impiedosa não apenas como pano de fundo, mas como personagem. Com uma prosa sucinta, porém cadenciada e rica, este é um romance íntimo e selvagem sobre a memória, o sentido de pertença e a busca de um lugar no mundo.

Uma inesquecível história que anuncia C Pam Zhang como uma das mais deslumbrantes novas vozes na literatura. Numa visão geral, o livro explora a questão racial num país em expansão e questiona o lugar a que pertencem os imigrantes. Mas, página a página, é nas memória eu ligam e separam famílias e na saudade do seu país e da sua casa que assenta este livro descrito pelo The New York Times como viciante e belo.

Sobre a autora:
Nascida em Pequim, mas sobretudo criada nos Estados Unidos, C Pam Zhang morou em treze cidades em quatro países, e continua à procura de um lar. Atualmente, reside em San Francisco e “Montanhas Douradas” é o seu romance de estreia.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**“Montanhas Douradas”, de C Pam Zhang (Bertrand Editora, Wook):
https://www.wook.pt/livro/montanhas-douradas-c-pam-zhang/24480640
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 02-06-2021.

15.06.2021: “Balada para Sophie”, de Filipe Melo e Juan Cavia (ed. Companhia das Letras Portugal, 320 páginas)

“Vindos da música e do cinema, Filipe Melo e Juan Cavia acabaram com a ideia de que a BD é um negócio arriscado em Portugal. ‘Balada para Sophie’ tem o fôlego de um romance e música lá dentro.” Sara Figueiredo Costa, Expresso

Fonte: Companhia das Letras Portugal

Sinopse:
A vida de Julien Dubois, pianista de sucesso, confunde-se com a história da Europa do século XX. Desencantado e misantropo, vive a reforma numa velha mansão, com um gato e uma governanta por companhia.

Um dia, é visitado por uma jovem jornalista que o incita a contar a sua verdadeira história. Nas paredes da casa, saturadas de fumo de cigarro e de velhas memórias, ressoa a confissão de uma vida feita de rivalidade, desamor e arrependimento.

“Balada para Sophie” é uma deslumbrante novela gráfica de uma das duplas mais consagradas da Banda Desenhada em Portugal.

Sobre os autores:
Filipe Melo é músico, realizador de cinema e autor de banda desenhada. Desenvolveu desde cedo uma paixão pelo piano e pela improvisação. Estudou no Hot Clube de Portugal e, mais tarde, no Berklee College of Music, em Boston. Depois de muitos anos como pianista, tornou-se também compositor e orquestrador. Atualmente, ensina na Escola Superior de Música, em Lisboa. Na área do cinema, foi o criador de vários projetos de culto: “I’ll See You in My Dreams”, curta-metragem vencedora do Fantasporto, “Um Mundo Catita” e “Sleepwalk”, curta vencedora do Prémio Sophia da Academia Portuguesa de Cinema. Nos EUA, escreve para a lendária antologia “Dark Horse Presents”, ao lado de nomes como Frank Miller e Mike Mignola. Em 2019, recebeu o troféu de honra do festival Amadora BD. Colabora com Juan Cavia há mais de uma década, e a dupla tem já vários livros publicados, em Portugal e no estrangeiro.

Juan Cavia trabalha como diretor de arte e ilustrador desde 2004. Estudou cinema e, em paralelo, desenvolveu conhecimentos de ilustração e pintura, disciplinas que treinou desde tenra idade com o seu mentor, o ilustrador argentino Carlos Pedrazzini. Aos 21 anos, iniciou uma carreira como diretor de arte. Desde então, fez publicidade, TV, videoclipes, teatro e nove longas-metragens, entre as quais se destaca “O Segredo dos Seus Olhos”, de J. Campanella (vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, em 2010). Colabora com Filipe Melo há mais de uma década, e a dupla tem já vários livros publicados, em Portugal e no estrangeiro.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**“Balada para Sophie”, de Filipe Melo e Juan Cavia (Companhia das Letras Portugal, Wook):
https://www.wook.pt/livro/balada-para-sophie-filipe-melo/24751218
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 15-06-2021.

15.06.2021: “A Outra Metade”, de Brit Bennett (ed. Alfaguara Portugal, 384 páginas, com tradução de Tânia Ganho)

Fonte: Alfaguara Portugal

Sinopse:
As gémeas Stella e Desiree Vignes, tão idênticas de feições quanto diferentes de feitio, nasceram para contrariar a profecia.

Geração após geração, a comunidade negra desta pequena localidade, no Estado sulista de Luisiana, esforça-se por aclarar o tom da sua pele, favorecendo os casamentos mistos. Desiree e Stella são disso um bom exemplo, com a sua pele «cor de areia húmida», olhos castanho-avelã e cabelo ondulado. Mas a aparência não basta para as livrar do estigma, e acabam por assistir à morte violenta do pai, à humilhação da mãe depois disso.

Aos dezasseis anos, escolhem fugir juntas da terra sufocante. Pretendem escapar ao seu sangue e libertar o seu futuro. Mas a fuga para Nova Orleães acaba por ditar o afastamento das irmãs, até então inseparáveis.

Catorze anos mais tarde, Desiree volta à casa materrna, arrastando pelas ruas poeirentas da terra uma filha de pele «negra como o alcatrão», que atrai todos os olhares do lugarejo retrógrado. Stella, por seu lado, tem a vida construída numa mentira: vive na Califórnia, faz-se passar por branca, e o marido nada sabe do seu passado.

Apesar de tantos quilómetros e tantas mentiras a separá-las, os destinos das gémeas estão inevitavelmente entrelaçados. E voltarão a cruzar-se, porque é impossível renegar a metade que nos pertence.

Na saga desta família que atravessa quatro décadas e vários Estados, Brit Bennett cria uma história de apelo universal e intemporal. Não se detendo no inevitável tema central da raça e da identidade, A outra metade reflecte sobre o peso do passado no presente, pondera as consequências e os limites da reinvenção pessoal e oferece uma meditação poderosa sobre a família e a liberdade individual.

Um romance sensual, envolvente e inquietante, de uma das grandes revelações da literatura americana dos últimos tempos.

Sobre a autora:
É uma escritora norte-americana que reside em Los Angeles. O seu romance de estreia, “The Mothers” foi um best-seller do New York Times. O seu segundo romance, “The Vanishing Half” também foi um best-seller do New York Times, venceu o Goodreads Choice Awards de 2020, na categoria de Ficção Histórica, e foi selecionado como um dos livros do Good Morning America Book Club.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**“A Outra Metade”, de Brit Bennett (Alfaguara Portugal, Wook):
https://www.wook.pt/livro/a-outra-metade-brit-bennett/24779457
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 15-06-2021.

15.06.2021: “A Biblioteca de Paris”, de Janet Skeslien Charles (ed. Suma de Letras Portugal, 448 páginas)

“Um romance encantador, rico em detalhes… Os leitores de literatura histórica deixar-se-ão envolver pelo realismo da narrativa e pela amizade que se constrói entre uma viúva e uma jovem solitária.” — Publishers Weekly

Fonte: Suma de Letras Portugal

Sinopse:
Paris, 1939. A jovem Odile Souchet tem tudo: um bonito namorado polícia e um emprego de sonho na Biblioteca Americana em Paris. No entanto, quando a guerra estoura e os nazis marcham sobre a cidade, Odile corre o risco de perder tudo o que é importante para ela, incluindo a sua amada biblioteca. Porque os livros contêm palavras proibidas e ideias que devem ser destruídas, sabe que, nos momentos difíceis, os templos da cultura estão em perigo.

Odile não pode permitir que isso aconteça: ela deve salvar essas páginas, para que possam alimentar a mente de quem chegar depois. Com os seus companheiros, junta-se à Resistência com as melhores armas que possui: os livros. Coloca o centro à disposição dos judeus: expulsos das suas casas, sentem-se seguros entre os livros, e Odile defendê-los-á, custe o que custar. Contudo, quando a guerra, finalmente, termina, em vez da liberdade, Odile sente o gosto amargo de uma indescritível traição.

Montana, 1983: Lily é uma adolescente solitária em busca de aventura. A sua velha vizinha solitária desperta-lhe o interesse. Conforme Lily vai sabendo mais sobre o passado misterioso da vizinha, descobre que partilham o amor pela linguagem, os mesmos anseios e o mesmo ciúme intenso, sem suspeitar que um obscuro segredo do passado as liga.

Baseada na verdadeira saga dos heroicos bibliotecários da Biblioteca Americana em Paris durante a Segunda Guerra Mundial, esta é uma inesquecível história de amor, amizade, família e sobre o poder da literatura para nos unir. “A Biblioteca de Paris” mostra que o heroísmo extraordinário pode, por vezes, ser encontrado nos lugares mais silenciosos.

Sobre a autora:
Janet Skeslien Charles é a autora premiada de “Moonlight in Odessa”, que foi traduzido para dez idiomas. Tem também publicados pequenos textos em revistas como a Slice e a Montana Noir. Janet começou a interessar-se pela incrível história real dos bibliotecários que enfrentaram o «protector do livro» nazi quando trabalhava como gerente de um programa na Biblioteca Americana em Paris. O seu romance “A Biblioteca de Paris” será publicado em trinta países. Divide o seu tempo entre Montana e Paris.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**”A Biblioteca de Paris”, de Janet Skeslien Charles (Suma de Letras Portugal, Wook):
https://www.wook.pt/livro/a-biblioteca-de-paris-janet-skeslien-charles/24779458
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 15-06-2021.

16.06.2021: “A Colina Que Subimos – Um poema inaugural”, de Amanda Gorman (ed. Editorial Presença, 64 páginas, com tradução de Carla Fernandes)

Fonte: Editorial Presença

Sinopse:
A 20 de janeiro de 2021, Amanda Gorman tornou-se a sexta e mais jovem poeta a ler um poema na tomada de posse presidencial.

Depois do discurso do 46.º presidente dos Estados Unidos da América, Joe Biden, Amanda subiu ao palco e conquistou o país e o mundo.

“A Colina Que Subimos – Um poema inaugural” pode agora ser lido e partilhado nesta edição bilingue, com tradução de Carla Fernandes e prefácio de Oprah Winfrey.

Um livro para oferecer, ler e reler, que celebra a promessa da América e afirma o poder da poesia.

Sobre a autora:
Amanda Gorman tornou-se a sexta e mais jovem poeta, aos vinte e dois anos, a ler um poema na tomada de posse presidencial. Ativista comprometida, trabalha a nível local, nacional e internacional em defesa de causas como o ambiente, a justiça racial e a igualdade de género. O trabalho de Amanda Gorman foi já divulgado em vários meios, tais como The Today Show, PBS Kids, CBS This Morning, The New York Times, Vogue, Essence e O, The Oprah Magazine. É também autora do álbum infantil “Change Sings”, com ilustrações de Loren Long, ilustrador bestseller do New York Times, assim como da coletânea de poesia “The Hill We Climb and Other Poems”. Amanda Gorman licenciou-se na Universidade de Harvard e vive em Los Angeles.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**”A Colina Que Subimos – Um poema inaugural”, de Amanda Gorman (Editorial Presença, Wook):
https://www.wook.pt/livro/a-colina-que-subimos-amanda-gorman/24781243
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 16-06-2021.

17.06.2021: “A Dança da Morte” – Livro 2, de Stephen King (ed. Bertrand Editora, 680 páginas)

“Tem tudo. Aventura. Romance. Profecia. Alegoria. Sátira. Fantasia. Realismo. Apocalipse. Fantástico!” — The New York Times Book Review

Fonte: Bertrand Editora

Sinopse:
Cada campo está bem delimitado: de um lado, uma comunidade pacífica em Boulder, Colorado, onde todos os dias grupos de sobreviventes se vêm juntar à Mãe Abagail; do outro, a comunidade de Randal Flagg, um grupo à deriva liderado por um homem maléfico. À medida que o homem sombrio e a mulher bondosa ganham poder, o confronto entre ambos, entre o Bem e o Mal, torna-se inevitável e os sobreviventes veem-se arrastados para uma luta que decorre num mundo destruído pela loucura dos homens mas em que ainda há lugar para a esperança.

Uma história aterradora de devastação, “The Stand: A Dança da Morte” é também um épico sobre o ressurgimento e a reconstrução que qualquer apocalipse presume, sobre a necessidade de viver em grupo, mas também sobre a importância de reaver a individualidade.

Sobre o autor:
Romancista norte-americano, Stephen King nasceu em 1947 em Portland, no Maine. Deu início aos seus estudos secundários na Lisbon Falls High School, onde começou a escrever contos. Desde 1974, ano em que publicou “Carrie”, que seria adaptado para o cinema, somente, um par de anos depois, King já escreveu e publicou mais de 50 livros, o que já o fez superar a barreira dos 300 milhões de exemplares vendidos a nível mundial. É o autor vivo que, neste momento, possui mais adaptações das suas obras. Aos 73 anos, mantém uma produção literária impressionante e “Joyland” está, neste momento a ser adaptado para um filme.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**“A Dança da Morte” – Livro 2, de Stephen King (Bertrand Editora, Wook):
https://www.wook.pt/livro/the-stand-a-danca-da-morte-livro-i-stephen-king/24313841
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 17-06-2021.

17.06.2021: “Com Ler Literatura”, de Terry Eagleton (ed. Edições 70, 286 páginas)

Fonte: Edições 70

Sinopse:
O que torna uma obra literária boa ou má?
Qual a liberdade do leitor para interpretá-la?
O que distingue o gosto da crítica?

Neste livro acessível e divertido, Terry Eagleton aborda estas e outras questões intrigantes.

Como Ler Literatura” é o livro de eleição para estudantes acabados de chegar ao estudo da literatura e para todos os leitores interessados em aprofundar a sua compreensão dos textos e em enriquecer a sua experiência de leitura.

Numa série de análises brilhantes, Eagleton mostra como se deve ler, prestando a devida atenção ao tom, ao ritmo, à textura, à sintaxe, à alusão, à ambiguidade e a outros aspetos formais das obras literárias.

Sobre o autor:
Nascido em 1943, Terry Eagleton é um filósofo, professor e crítico literário inglês. Precursor dos Cultural Studies, publicou mais de quarenta livros, sendo um dos intelectuais mais lidos e comentados em todo o mundo. Além dos seus trabalhos de referência sobre teoria literária, tem escrito abundantemente sobre cultura, ideologia, política, religião e humor.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**“Com Ler Literatura”, de Terry Eagleton (Edições 70, Wook):
https://www.wook.pt/livro/como-ler-literatura-terry-eagleton/24780508
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 17-06-2021.

Também estamos no Instagram:
https://www.instagram.com/sonhandoentrelinhas/

Boas leituras!

About author

Articles

Criativo, Criador do Sonhando Entre Linhas, amo ler, e escrever. Gosto de ler quase todos os géneros literários. Amo autores como Valter Hugo Mãe, Fernando Pessoa, José Saramago, João Pinto Coelho, Itamar Vieira Junior, Jeferson Tenório, entre outros. Desde agosto de 2019, trabalho no Grupo LeYa Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *