Novidades Editoriais

Lançamentos previstos para julho em Portugal (Parte 1)

No próximo mês de julho, já temos alguns títulos confirmados nas livrarias portuguesas. Nesta primeira parte, destaco os novos livros de James Rollins, John Grisham, a poesia inédita de Margaret Atwood, depois de vários anos a escrever ficção, a chegada do romance de Richard Osman, que está a ser um fenómeno editorial a nível mundial, o regresso de Emily St. John Mandel, autora de “Estação Onze”, com “O Hotel de Vidro”, e “Ela e Ele”, o romance autobiográfico de George Sand, a primeira mulher da literatura francesa, contemporânea de Balzac e Victor Hugo, que conseguiu o raro feito de ser popular e prestigiada durante a sua existência.

01.07.2021: “A Esfinge Uivante”, de James Rollins (Bertrand Editora, 384 páginas)

Fonte: Bertrand Editora

Sinopse:
Usando o relógio do seu pai como chave, Jake pretende regressar a Calypsos. Em vez disso, é atirado para uma terra estranha e desértica, onde se juntam a ele os seus amigos Marika, Pindor, Bach’uuk e a sua irmã Kady.

Enquanto tentam descobrir o que fazer a seguir, um ataque-surpresa da bela e jovem princesa Nefertiti leva-os a todos para o cativeiro. Não tarda que até ela tenha de lutar contra os lacaios do Rei Caveira.

É que Jake tem algo que o Rei Caveira quer: um prémio que dará ao seu dono um poder impressionante, incluindo o controlo da temível Esfinge Uivante. Numa nova e emocionante aventura, Jake corre contra o tempo para derrotar o Rei Caveira, sabendo que, se este vencer, será imparável.

Cheio de perigos inesperados, enigmas, desafios e uma ação estonteante, este thriller de cortar a respiração só podia ser criação do ímpar James Rollins!

Sobre o autor:
James Rollins tem um talento especial, e a sua impressionante originalidade tem sido saudada pelos críticos e abraçada por milhões de leitores em todo o mundo. A sua série Força Sigma, na qual se inserem “A Herança de Judas” e “O Olho de Deus”, foi considerada «no topo das boas leituras» (New York Times) e uma das «melhores leituras de verão» (revista People). Os seus livros refletem a preferência do público e as suas obras estão traduzidas em mais de quarenta idiomas. Rollins é conhecido por revelar mundos invisíveis, descobertas científicas e segredos históricos, e as suas narrativas são pautadas por um ritmo alucinante.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**”A Esfinge Uivante”, de James Rollins (Bertrand Editora, Wook): 
https://www.wook.pt/livro/jake-ransom-e-a-esfinge-uivante-james-rollins/21076214
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 01-07-2021.

01.07.2021: “A Tempestade”, de John Grisham (Bertrand Editora, 296 páginas)

Fonte: Bertrand Editora

Sinopse:
Uma tempestade perfeita. O crime perfeito.

Quando o furacão Leo ameaça Camino Island, na Florida, o governador rapidamente dá ordem de evacuação. A maior parte dos moradores abandona as suas casas e foge para o continente, mas um pequeno grupo de resistentes decide ficar. Entre eles está Bruce Cable, proprietário da Bay Books, no centro de Santa Rosa. O furacão é devastador: casas e negócios são destruídos, hotéis e montras de lojas arrasadas, ruas inundadas e morre uma dezena de pessoas. Uma das vítimas é Nelson Kerr, amigo de Bruce e escritor de thrillers, e vários golpes misteriosos na cabeça sugerem que a tempestade não foi a causa de morte. Quem quereria Nelson morto?

A polícia local, sobrecarregada com as consequências da tempestade, não se encontra em condições de desvendar o caso. Bruce começa a questionar se as personagens obscuras dos romances de Nelson não seriam mais factos do que ficção. O manuscrito do seu novo romance está algures no computador de Nelson e a chave para resolver a sua morte pode estar ali, preto no branco. Bruce começa a investigar e o que encontra nas entrelinhas é mais chocante do que a trama imaginada por Nelson —e muito mais perigoso.

Sobre o autor:
John Grisham, nasceu no Arkansas a 8 de fevereiro de 1955. Antes de se tornar escritor a tempo inteiro, licenciou-se em Direito, exerceu advocacia e tornou-se um profundo conhecedor do sistema jurídico americano. Inspirou-se na sua experiência profissional em toda a sua obra literária, que se inicia em 1989 com a publicação de “Tempo de Matar”. Com mais de 350 milhões de exemplares vendidos e traduzido para mais de 45 línguas, é um autor que ocupa permanentemente os lugares cimeiros nas listas dos livros mais vendidos. A sua enorme popularidade e a mestria da sua escrita fazem de John Grisham um dos autores cujas obras literárias são frequentemente distinguidas com adaptações cinematográficas e televisivas de grande qualidade.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**”A Tem+pestade”, de John Grisham (Bertrand Editora, Wook): 
https://www.wook.pt/livro/a-tempestade-john-grisham/24576557
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 01-07-2021.

01.07.2021: “Afectosamente – Poemas”, de Margaret Atwood (Bertrand Editora, 240 páginas)

Fonte: Bertrand Editora

“Afectuosamente” é a primeira coletânea de poesia de Margaret Atwood em mais de uma década. A autora aborda temas como o amor, a perda, a passagem do tempo, a natureza e zombies.

A sua poesia tem uma tonalidade pessoal e introspetiva, e os temas que aborda são muito abrangentes. Poema após poema, dá largas à sua imaginação única e inflexível, com um olhar atento, cuidadoso e intuitivo sobre a vida.

Embora seja mais conhecida pelas suas obras de ficção, nomeadamente pelos romances “A História de Uma Serva” e “Órix e Crex”, entre outros, Margaret Atwood é, desde o início da sua carreira, uma das mais importantes poetisas contemporâneas e uma das poucas escritoras igualmente talentosas na ficção e na poesia.

Esta coletânea será apreciada tanto pelos leitores dos seus romances quanto pelos leitores de poesia.

Sobre a autora:
Margaret Atwood nasceu em Otava em 1939. É a mais celebrada autora canadiana e publicou mais de quarenta livros, de ficção, poesia e ensaio. Recebeu diversos prémios literários ao longo da sua carreira, incluindo o Arthur C. Clarke, o Booker Prize, o Governor General’s Award e o Giller Prize, bem como o prémio para Excelência Literária do Sunday Times (Reino Unido), a Medalha de Honra para Literatura do National Arts Club (EUA), o título de Chevalier de l’ Ordre des Arts e des Lettres (França) e foi a primeira vencedora do Prémio Literário de Londres. Está traduzida para trinta e cinco línguas. Vive em Toronto com o escritor Graeme Gibson.

Sugestões de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
“Afectosamente – Poemas”, de Margaret Atwood (Bertrand Editora, Wook):
https://www.wook.pt/livro/afectuosamente-margaret-atwood/24590258
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 01-07-2021.

05.07.2021: “Ela e Ele”, de George Sand (ed. Sibila Publicações, 224 páginas, com tradução de Inês Pedrosa)

Sinopse:
Ela chama-se neste romance Thérèse Jacques e é pintora mas é, na realidade, a própria George Sand. Ele surge como o pintor Laurent de Fauvel mas é, na realidade, o escritor Alfred de Musset, que viveu com a escritora a mais célebre e tempestuosa paixão da literatura francesa, em Paris e em Itália.

Une-os o sonho de uma existência em que a arte seja a criação imortal de um amor absoluto — mas ele cansa-se da felicidade assim que a alcança, entregando-se à boémia e ao jogo da sensualidade, e ela cansa-se das variações do humor e do amor dele, recusando-se a assumir o papel da sofredora que tudo suporta por dedicação a um homem de génio.

Este romance claramente autobiográfico gerou um enorme escândalo aquando da sua publicação, em 1859, dois anos depois da morte de Musset, e levou mesmo o irmão do escritor, Paul de Musset, a publicar o romance “Lui et Elle” (Ele e Ela), parodiando o romance de Sand e vingando-se dela.

“Ela e Ele” é uma poderosa e fascinante obra literária que retrata, com a argúcia de análise psicológica que singularizou George Sand, uma relação vibrante entre dois grandes espíritos criadores. Um romance ousado, intenso e brilhantemente escrito.

Sobre a autora:
George Sand, pseudónimo de Aurore Dupin, baronesa de Dudevant (1804-1876), impôs-se como um dos maiores nomes da literatura francesa, criando uma vasta obra composta por 68 romances, e ainda textos políticos, peças de teatro, memórias e livros de viagens. Aos vinte e sete anos já era a escritora mais popular da Europa, ultrapassando a notoriedade de Victor Hugo e Balzac, que muito a admiravam. Conseguiu o raríssimo feito de ser simultaneamente popular e prestigiada, e foi a primeira mulher a conseguir sustentar-se através da escrita. Henry James elogiou-lhe o talento e o «grande estilo», Dostoiévski traduziu-a e homenageou-a, e a sua obra continua a ser referida nos livros de autores contemporâneos como A. S. Byatt.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal
**“Ela e Ele”, de George Sand (Sibila Publicações, Wook):
https://www.wook.pt/livro/ela-e-ele-george-sand/25045294
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 05-07-2021.

06.07.2021: “Vai Brasil”, de Alexandra Lucas Coelho (Editorial Caminho, 360 páginas)

Fonte: Editorial Caminho

Sinopse:
Lá fora toca forró. Anunciam vólei para daqui a pouco, e depois o almoço. Luís traz a sua coroa de penas e um saco de plástico cheio de flautas. Sopra numa, enquanto os netos correm em volta e um bebé dorme na rede. As tábuas separam o quarto dos adultos para um lado e das crianças para outro. Não há camas, só redes, e o chão é sempre de terra. A mulher, Raquel, mexe um grande balde com suco de cajá. “É para o pessoal merendar”, diz ela. O pessoal do torneio. Chegando a hora de almoço, toda a gente faz fila com uma tacinha, centenas de tacinhas. A luz eléctrica foi inaugurada ontem.

Sobre a autora:
Esteve quase a nascer na Ilha do Sal, em Cabo Verde, mas Alexandra Lucas Coelho acabou por nascer em Lisboa, no ano de 1967. Jornalista, desde 1987, e escritora, desde 2007, já viveu em Jerusalém e no Rio de Janeiro. “Oriente Próximo e “Caderno Afegão” marcam os seus primeiros passos na literatura, tendo sido editados em 2007 e 2009, respectivamente. O livro de não-ficção “Viva México” (2010) foi finalista do Prémio Portugal Telecom (atual Prémio Oceanos). O romance de estreia, “E a Noite Roda”, editado, originalmente, em 2012, venceu o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores. Vários dos seus livros estão publicados no Brasil, e o segundo romance, “O Meu Amante de Domingo” (2014), está traduzido em França, pela Éditions du Seuil. Atualmente, tem 14 livros publicados. Neste momento, está a fazer o programa “Volta ao Mundo em Cem Livros” para a RTP. 

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal
**“Vai Brasil”, de Alexandra Lucas Coelho (Editorial Caminho, Wook):
https://www.wook.pt/livro/vai-brasil-alexandra-lucas-coelho/24789230
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 06-07-2021.

06.07.2021: “O Clube do Crime das Quintas-Feiras”, de Richard Osman (ed. Editorial Planeta Portugal, 384 páginas)

“Não se via nada assim desde Harry Potter.” — The Guardian

Sinopse:
Quatro reformados com alguns truques na manga, uma polícia com o seu primeiro grande caso nas mãos, um assassinato brutal. Bem-vindos a… o clube do crime das quintas-feiras.

Num pacato bairro de residências privadas para reformados, quatro amigos improváveis reúnem-se uma vez por semana para discutir crimes que ficaram por resolver.

Ron, um ex-sindicalista todo tatuado; a doce Joyce, uma viúva que não é tão ingénua quanto parece; Ibrahim, um ex-psiquiatra com uma incrível habilidade analítica; e a tremenda e enigmática Elizabeth, que lidera este grupo de investigadores amadores… ou nem por isso.

Quando um homicídio ocorre no pequeno bairro, e uma misteriosa fotografia é encontrada ao lado do cadáver, o clube vê-se envolvido no seu primeiro caso real. Embora sejam quase octogenários, os quatro amigos têm alguns truques na manga…

Será que este gangue pouco convencional, mas brilhante, irá conseguir apanhar o assassino antes que seja tarde demais? O melhor é nunca subestimar um grupo de velhotes.

O fenómeno literário mundial chega a Portugal. um livro inteligente, divertido e viciante. Impossível de parar de ler.

Sobre o autor:
Richard Osman é produtor e apresentador de televisão. Já trabalhou em diversos programas de TV britânicos e, atualmente, tem o próprio game show na BBC. “O Clube do Crime das Quintas-Feiras” é o seu primeiro livro.

Sugestão de Leitura:
**”O Clube do Crime das Quintas-Feiras”, de Richard Osman (Editorial Planeta Portugal, Wook):
https://www.wook.pt/livro/o-clube-do-crime-das-quintas-feiras-richard-osman/25045289
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 06-07-2021.

07.07.2021: “Atraiçoada” – Série “The Betrothed” – Livro 2, de Kiera Cass (ed. Marcador, 224 páginas, com tradução de Luís Silva dos Santos)

Sinopse:
Da mesma série de “A Prometida”.

Podes seguir o teu coração quando ele já está destroçado? Depois de fugir de Coroa e deixar para trás a memória do seu amado Silas, Hollis está a adaptar-se à vida em Isolte.

O afeto da família Eastoffe é um bálsamo para a sua alma cansada, embora Etan, um primo mal-humorado com uma aversão profunda a coroanos, ameace perturbar a paz instável que ela encontrou. Enquanto as tensões em casa aumentam, a inquietação no reino de Isolte atinge o auge. Os Eastoffe podem ter o poder para destituir um rei tirânico – mas apenas com a ajuda de Hollis. Poderá uma rapariga que tudo perdeu colocar o destino da sua pátria adotiva acima dos anseios secretos do seu coração?

Sobre a autora:
Cresceu na Carolina do Sul e é formada em História pela Universidade de Radford. A série “A Seleção” colocou-a no primeiro lugar da lista de livros mais vendidos do The New York Times. Nos tempos livres, gosta de ler, dançar, fazer vídeos e comer quantidades excessivas de bolos. Atualmente, vive com a sua família em Christiansburg, na Virgínia, EUA.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**“Atraiçoada” – Série “The Betrothed” – Livro 2, de Kiera Cass (Marcador, Wook):
https://www.wook.pt/livro/atraicoada-kiera-cass/25002121
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 07-07-2021.

08.07.2021: “A Absolvição”, de Yrsa Sigurdardóttir (ed. Quetzal Editores, 424 páginas)

“O romance da rainha do policial islandês é uma história sobre o lado negro da escola e das redes sociais tão cativante quanto pavorosa.” – Heat Magazine

Fonte: Quetzal Editores

Sinopse:
Uma brilhante história de suspense sobre o lado negro das redes sociais.

Todos viram o filme no Snapchat: a vítima aterrorizada a pedir perdão. Depois, nas câmaras de segurança do cinema, a polícia observou um encapuzado a arrastar o corpo da rapariga para o exterior, através da porta das traseiras.

Estaria ela morta? Muito provavelmente. Quando, por fim, o cadáver foi encontrado, este estava marcado com um número – o 2.

O detetive Huldar, da polícia de Reiquejavique, foi chamado a integrar a investigação. E Freyja, a psicóloga que faz dupla com ele em várias investigações, foi igualmente convocada para entrevistar as amigas adolescentes da vítima.

Juntos, rapidamente descobriram que Stella não era afinal a rapariga boa e encantadora que todos diziam conhecer. Havia quem tivesse sofrido às suas mãos, quem tivesse sido por ela perseguido e destruído. Quem poderia odiá-la a ponto de a matar?

Entretanto um outro teenager desaparece e novo vídeo é posto a circular. A Absolvição é uma história de grande suspense sobre o abismo e o lado negro das redes sociais.

Sobre a autora:
Yrsa Sigurdardóttir vive com a família em Reiquejavique. É diretora de uma das maiores empresas de engenharia da Islândia. Os seus livros elevam-se aos topos das listas de bestsellers em todo o mundo. Muitos deles estão a ser adaptados ao cinema e à televisão.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**”A Absolvição”, de Yrsa Sigurdardóttir (Quetzal Editores, Wook):
https://www.wook.pt/livro/a-absolvicao-yrsa-sigurdardottir/21325547
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 08-07-2021.

08.07.2021: “Um Crime em Windsor”, de S. J. Bennett (ed. Edições Chá das Cinco, 272 páginas)

“Miss Marple cruza-se com The Crown.” — Amanda Craig

Fonte: Edições Chá das Cinco

Sinopse:
E se a rainha Isabel II resolvesse crimes enquanto desempenha os seus deveres reais?

Primavera de 2016, Castelo de Windsor. Na manhã a seguir ao seu jantar de aniversário, a Rainha Isabel II fica chocada ao descobrir que um dos seus hóspedes foi encontrado morto no quarto, com uma corda em volta do pescoço. O MI5 suspeita de crime e a monarca deixa a investigação para os profissionais – até que as suspeitas começam a apontar na direção errada.

Descontente com a condução do caso, a Rainha decide tomar discretamente as rédeas do assunto. Afinal, ela tem vivido uma vida dupla desde a coroação, resolvendo secretamente crimes enquanto cumpre oficialmente os deveres reais. Mas esse segredo pode ser descoberto a qualquer momento agora que a vida dos seus funcionários está em risco. Conseguirá ela, e a sua secretária de confiança, apanhar o assassino antes que ele as envolva na sua teia?

Com habilidade, sagacidade e charme, S. J. Bennett capta o estilo da Rainha Isabel II neste mistério envolvente que retrata Sua Majestade como ela raramente é vista: bondosa, decidida, astuta e, o mais importante, uma grande juíza de caráter.

Sobre a autora:
Antes de se dedicar à ficção para adultos, S. J. Bennett escreveu vários livros parajovens, distinguidos com diversos prémios. Vive em Londres e é uma atenta observadora da família real há muitos anos. 

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**”Um Crime em Windsor”, de S. J. Bennett (Edições Chá das Cinco, Wook):
https://www.wook.pt/livro/um-crime-em-windsor-s-j-bennett/25042980
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 08-07-2021.

08.07,2021: “O que aprendi em Auschwitz”, de Edith Eger (ed. Desassossego, 208 páginas)

Fonte: Desassossego

Sinopse:
Para Edith Eger, a pior prisão que experienciou não foi a dos campos de concentração, mas a que ela criou na sua mente. Todos nós enfrentamos o sofrimento, a tristeza, a perda, o desespero, o medo, a ansiedade e o falhanço. Mas também temos uma escolha: ceder e desistir face ao trauma ou dificuldades, ou viver cada momento como uma dádiva. Afinal, o que importa não é o que nos acontece, é o que escolhemos fazer com essa experiência. Neste guia, Edith Eger fornece-nos as ferramentas para nos ajudar a lidar com estes desafios universais.

Acompanhadas de histórias da sua vida e das dos seus pacientes — e de questões provocadoras que nos fazem refletir —, estas lições poderosas vão ajudar a encontrar inspiração nos momentos mais tenebrosos e a descobrir a liberdade e a alegria de viver. Liberte-se de padrões e pensamentos destrutivos que levam ao passado e abrace todo o seu potencial.

Sobre a autora:
Edith Eger nasceu na Hungria e era apenas uma adolescente quando foi enviada para Auschwitz, em 1944. Atualmente tem uma clínica de psicologia em La Jolla, na Califórnia, trabalha na Universidade da Califórnia, em San Diego, e dá palestras regularmente nos Estados Unidos e por todo o mundo. Trabalha igualmente como consultora para o exército e marinha dos EUA, em treino de resistência e tratamento de distúrbio de stresse pós-traumático. Edith Eger foi eleita Professora de Psicologia do Ano (1972), Mulher do Ano em El Paso (1978) e recebeu um Prémio Humanitário do Senado do Estado da Califórnia (1992). Para além deste “O que aprendi em Auschwitz”, também é autora de “A Bailarina de Auschwitz”.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**”O que aprendi em Auschwitz”, de Edith Eger (Desassossego, Wook):
https://www.wook.pt/livro/o-que-aprendi-em-auschwitz-edith-eger/25042983
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 08-07-2021.

15.07.2021: “Filha da Guerra” – Série “Monstress” – Livro 5, de Marjorie Liu e Sana Takeda (ed. Edições Saída de Emergência, 176 páginas)

“Extraordinário! Uma história contada de forma magnífica sobre o que significa ser humano.” — Neil Gaiman

Fonte: Edições Saída de Emergência

Sinopse:
A animosidade latente entre Humanos e Arcânicos renasce violentamente e uma nova guerra toma conta do Mundo Conhecido. Maika Meiolobo apercebe-se de que outro conflito, de proporções cósmicas, está próximo… mas primeiro há que sobreviver a esta batalha.

Neste quinto volume de Monstress, Maika deve colocar de lado traições pessoais e revelações privadas para defender a cidade arcânica de Ravenna, o primeiro grande alvo da Federação. Com a batalha iminente, Maika e os seus amigos enfrentam decisões difíceis, forçados a escolher a justiça ou a misericórdia, a segurança ou a liberdade, a família ou a
sociedade – e a viver com as consequências.

Sobre as autoras:
Marjorie Liu é uma aclamada escritora de livros de BD e ficção. Trabalhou com a Marvel e o seu trabalho está publicado na Alemanha, França, Japão, Polónia e Reino Unido. Nasceu em Filadélfia e viveu em várias cidades do Médio Oriente e Pequim. Antes de se dedicar a tempo inteiro à escrita, era advogada. Reside atualmente em Boston.

Sana Takeda nasceu em Niigata e reside em Tóquio. Foi designer na Sega e tem extenso trabalho publicado com a Marvel.

Leitores residentes em Portugal:
**“Filha da Guerra” – Série “Monstress” – Livro 5, de Marjorie Liu e Sana Takeda (Edições Saída de Emergência, Wook):
https://www.wook.pt/livro/monstress-filha-da-guerra-marjorie-liu/25048299
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 15-07-2021.

21.07.2021: “O Hotel de Vidro”, de Emily St. John Mandel (ed. Editorial Presença, 272 páginas, com tradução de Marta Mendonça)

“Nos livros de Emily St. John Mandel, o quotidiano encontra o extraordinário, como naquele momento em que uma pessoa normal para e se pergunta como chegou aqui.” — The New Yorker

 

Fonte: Editorial Presença

Sinopse:
Um enredo em que suspense, sobrevivência e culpa medem forças lado a lado com amor, desilusão e consequências absolutamente inesperadas.

Vincent é a bela empregada de bar do Hotel Caiette, um palácio de vidro e cedro na extremidade mais a norte da Ilha de Vancouver. Jonathan Alkaitis, um financeiro de Nova Iorque, é o proprietário do hotel.

Quando entrega a Vincent o seu cartão de visita acompanhado de uma gorjeta, começa assim uma vida em conjunto. Nesse mesmo dia, uma figura encapuçada escrevinha um recado na parede de vidro do hotel: «Porque não engoles pedaços de vidro?»

Leon Prevant, executivo de transportes marítimos de uma firma chamada Neptune-Avramidis, vê o recado no bar do hotel e fica profundamente abalado. Treze anos mais tarde, logo após a implosão de um imenso esquema Ponzi em Nova Iorque, Vincent desaparece misteriosamente do convés de um navio da Neptune-Avramidis.

Cruzando as vidas destas personagens, “O Hotel de Vidro” alterna entre o navio, as torres de Manhattan e a natureza selvagem da região remota da Colúmbia Britânica, pintando um retrato avassalador de ganância e culpa, de fantasia e ilusão, de arte e dos fantasmas do passado.

Sobre a autora:
Emily St. John Mandel é autora de cinco romances. O mais recente, “O Hotel de Vidro”, foi selecionado para a shortlist do Scotiabank Giller Prize, e está já traduzido em 20 línguas. O seu livro anterior, “Estação Onze”, também publicado em Portugal pela Editorial Presença, está editado em mais de 30 países, venceu o Arthur C. Clarke Award e foi finalista do National Book Award e do PEN/Faulkner Award. A autora vive em Nova Iorque com o marido e a filha.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**“O Hotel de Vidro”, de Emily St. John Mandel (Editorial Presença, Wook):
https://www.wook.pt/livro/o-hotel-de-vidro-emily-st-john-mandel/25048279
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 21-07-2021.

Também estamos no Instagram:
https://www.instagram.com/sonhandoentrelinhas/

Boas leituras!

About author

Articles

Criativo, Criador do Sonhando Entre Linhas, amo ler, e escrever. Gosto de ler quase todos os géneros literários. Amo autores como Valter Hugo Mãe, Fernando Pessoa, José Saramago, João Pinto Coelho, Itamar Vieira Junior, Jeferson Tenório, entre outros. Desde agosto de 2019, trabalho no Grupo LeYa Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *