Novidades Editoriais

Lançamentos previstos para agosto em Portugal (Parte 1)

No oitavo mês de 2021 teremos o regresso de autores como John Green, que nos traz “O Antropoceno – Uma Crítica”, um livro de ensaios, ou Stephen King, com a reedição de “The Shining”, a poesia de Maria Teresa Horta com “Paixão” e António Lobo Antunes, em dose dupla, com “O Esplendor de Portugal” e “As Crónicas”. Além disso, teremos “Navegação de Cabotagem”, de Jorge Amado, e”Você nunca mais vai ficar sozinha”, de Tati Bernardi, a representar o Brasil e “Milagrário Pessoal”, de José Eduardo Agualusa, em nome da literatura angolana, sem esquecer o lançamento mundial de “Um Fogo Lento”, novo e muito aguardado livro da britânica Paula Hawkins, que sucede a “Escrito na Água” e, naturalmente, a “A Rapariga no Comboio”.

03.08.2021: ”O Esplendor de Portugal”, de António Lobo Antunes (ed. Dom Quixote, 416 páginas)

Fonte: Publicações Dom Quixote

Sinopse:
Uma história familiar que se funde na dos últimos anos do domínio colonialista português, na dos primeiros anos da independência e subsequente guerra civil em Angola.

Sobre o autor:
Nasceu em Lisboa, em 1942. Estudou na Faculdade de Medicina de Lisboa e especializou-se em Psiquiatria. Exerceu, durante vários anos, a profissão de médico psiquiatra. Em 1970 foi mobilizado para o serviço militar. Embarcou para Angola no ano seguinte, tendo regressado em 1973. Em 1979, António Lobo Antunes, publicou os seus primeiros livros, “Memória de Elefante” e “Os Cus de Judas”, seguindo-se, em 1980, “Conhecimento do Inferno”. Estes primeiros livros transformaram-no imediatamente num dos autores contemporâneos mais lidos e discutidos no âmbito nacional e internacional. Todo o seu trabalho literário tem sido, ao longo dos anos, objeto dos mais diversos estudos, académicos ou não, e dos mais importantes prémios, nacionais e internacionais, entre os quais se contam o Prémio Juan Rulfo, 2008, Prémio Camões, 2007, Prémio Jerusalém, 2005, Prémio Ovídio, 2003 e Prémio Europeu de Literatura, 2001. A obra de António Lobo Antunes encontra-se traduzida em inúmeros países e recentemente foi anunciada a sua edição na prestigiosa coleção Pléiade.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**”O Esplendor de Portugal”, de António Lobo Antunes (Dom Quixote, Wook):
https://www.wook.pt/livro/o-esplendor-de-portugal-antonio-lobo-antunes/25114218
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 03-08-2021.

05.08.2021: “O Esplendor dos Brunhoff”, de Yseult Williams (ed. Quetzal Editores, 352 páginas)

Yseult Williams traça o cativante itinerário dos Brunhoff, uma irmandade na vanguarda da moda e da edição. Uma biografia apaixonante.” — Le Figaro

Fonte: Quetzal Editores

Sinopse:
Cativante saga familiar e apaixonante incursão pelo mundo das artes, da política e da História da Europa do século XX.

Certas famílias excecionais passam por entre as malhas da História, embora, no seu tempo, tenham sido incontornáveis. Os Brunhoff pertencem a esta categoria. Durante a Belle Époque, em Montparnasse, dançavam já em cima do vulcão. Nos anos 20 incarnavam o Tout-Paris, o mesmo que dizer, o centro do mundo.

A imprensa, a edição, a moda, a fotografia, a arte moderna: os Brunhoff estavam implicados em cada um destes domínios. Inovadores nas artes, eles foram também os postos avançados da luta contra o fascismo e estiveram estreitamente ligados ao movimento pacifista. Esta dinastia de origem báltica e germânica assistiu de perto à tragédia da Europa: da guerra franco-prussiana à Segunda Guerra Mundial, a família (…) atravessou as tempestades com o panache dos grandes exploradores do nosso tempo.

Sobre a autora:
Neta de um físico nuclear irlandês e de um dos pioneiros do moderno cinema inglês, Yseult Williams nasceu em França, em 1968. Depois dos seus estudos universitários de literatura inglesa e de um mestrado em linguística, Yseult começou por trabalhar como jornalista freelance para televisão e revistas, até se transformar numa estrela da chamada «imprensa feminina», como a Marie Claire, Marie France, Grazia – mas também a Lui ou a Be –, publicações que criou, dirigiu, relançou ou revolucionou, antes de regressar à televisão como editora. Interessada pela história dos média, publicou em 2015 “mpératrices de la mode”.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**“O Esplendor dos Brunhoff”, de Yseult Williams (Quetzal Editores, Wook):
https://www.wook.pt/livro/o-esplendor-dos-brunhoff-yseult-williams/22799988
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 05-08-2021.

05.08.2021: “The Shining”, de Stephen King (ed. Bertrand Editora, 520 páginas)

“Provavelmente o melhor romance sobrenatural dos últimos cem anos, uma obra-prima por demais evidente.” — Peter Straub

Fonte: Bertrand Editora

Sinopse:
Jack Torrance consegue um emprego num velho hotel e acha que este será a solução dos seus problemas e dos da sua família – as dificuldades vão ficar para trás, a sua mulher vai deixar de sofrer e o seu filho, Danny, vai poder voltar a respirar ar puro e ultrapassar as estranhas convulsões que o afligem. Mas as coisas não são tão perfeitas como parecem – forças malignas pairam nos antigos corredores.

O hotel é uma chaga aberta de ressentimento e desejo de vingança, e, inevitavelmente, um confronto entre o bem e o mal vai ter de ser travado.

Sobre o autor:
Romancista norte-americano, Stephen King nasceu em 1947 em Portland, no Maine. Deu início aos seus estudos secundários na Lisbon Falls High School, onde começou a escrever contos. Desde 1974, ano em que publicou “Carrie”, que seria adaptado para o cinema, somente, um par de anos depois, King já escreveu e publicou mais de 50 livros, o que já o fez superar a barreira dos 300 milhões de exemplares vendidos a nível mundial. É o autor vivo que, neste momento, possui mais adaptações das suas obras. Aos 72 anos, mantém uma produção literária impressionante e “Joyland” está, neste momento a ser adaptado para um filme.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**“The Shining”, de Stephen King (Bertrand Editora, Wook):
https://www.wook.pt/livro/the-shining-stephen-king/24590377
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 05-08-2021.

05.08.2021: “A Rapariga da Rosa”, de Leslie Wolfe (ed. Alma dos Livros, 264 páginas)

Fonte: Alma dos Livros

Sinopse:
Três histórias. Duas vidas. Um assassino. A agente Tess Winnett está de volta com três casos reunidos num único livro. Raparigas desaparecidas, evidências perturbadoras e crimes terríveis.

Tess Winnett corre contra o tempo. Um corpo congelado, vidas suspensas nas mãos de assassinos em série, destinos cruzados e mensagens misteriosas em corpos ensanguentados. Quantas mais vítimas terão de morrer? Quanto tempo mais irão os assassinos continuar a escapar?

A RAPARIGA DA ROSA.
Um corpo congelado, incapaz de se mover. Os olhos vazios, fixos no sangue que emana do seu próprio corpo, enchendo uma taça de porcelana cuidadosamente trabalhada a ouro. Os lábios entreabertos de quem soltou um grito que não chegou a ninguém.

E ele apenas sorri, enxugando-lhe as lágrimas com os dedos frios. Marcada para a morte. Um número, uma letra. Duas personagens, nove cortes, os seus destinos cruzados e nitidamente esculpidos na pele ensanguentada de Danielle.

Tess já tinha visto isto antes. Nos corpos de outras vítimas… ela conhece aquela assinatura… O Assassino das Palavras está de volta, no entanto, a sua identidade permanece um mistério.

Um assassino impulsivo, desorganizado e rápido como um relâmpago. E porque terá deixado Danielle com vida? MORTE NAS ALTURAS. O mar alto não teve tempo suficiente de destruir o corpo.

A sua beleza permanece intacta, os lábios pálidos em memória de um último suspiro, o rosto escondido por mechas de cabelo escuro e ondulado. Cada centímetro da sua pele testemunha um terrível destino entregue nas mãos de um assassino que nunca esperou que ela fosse encontrada.

Sobre a autora:
Leslie Wolfe é uma escritora norte-americana cujos livros se tornaram bestsellers e cujo trabalho tem sido elogiado pelos leitores e pela crítica, desfrutando de um sucesso e reconhecimento crescentes, com solicitações diversas, incluindo da indústria cinematográfica de Hollywood. Os romances de Leslie quebram o molde dos thrillers tradicionais, surpreendendo pela notável compreensão da natureza humana e pela forma invulgar como retratam os ambientes, as situações e as personagens. Fascinada por tecnologia e psicologia, Leslie aproveita a sua vasta experiência e pesquisa nessas áreas a fim de fortalecer e adicionar ingredientes extra aos seus livros. Começou a escrever ainda menina; no entanto, adiou as suas aspirações a escritora durante algum tempo para ser empresária. Porém, perante o crescente sucesso como escritora, decidiu abandonar a atividade, refugiar-se em casa, que apelida carinhosamente «cova dos lobos», e dedicar-se a tempo inteiro à sua verdadeira paixão. Leslie Wolfe mora na Florida com o marido, «o Wolfe», e o seu cão.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**“A Rapariga da Rosa”, de Leslie Wolfe (Alma dos Livros, Wook):
https://www.wook.pt/livro/a-rapariga-da-rosa-leslie-wolfe/25162022
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 05-08-2021.

05.08.2021: “O Clube dos Rapazes”, de Erica Katz (ed. Edições Chá das Cinco, 384 páginas)

“Um romance de estreia intrigante… Todos os curiosos acerca do mundo das grandes sociedades de advogados vão desfrutar do romance envolvente e brutal de Katz.” — Publishers Weekly

Fonte: Edições Chá das Cinco

Sinopse:
O poder e o privilégio têm sempre um lado negro.

Alex Vogel sempre foi muito ambiciosa – depois de um percurso imaculado em Harvard, é convidada para uma das mais competitivas sociedades de advogados de Manhattan. A jovem nunca se sentiu tão confiante – até os flirts dos clientes a divertem. Fazendo noitadas e acompanhando clientes até altas horas da noite, o trabalho é exigente mas tem as suas regalias, como fins de semana em Miami e viagens em aviões particulares.

No entanto, quando Alex se começa a sentir atraída por um colega, um acontecimento ameaça revelar o lado negro da firma. A jovem sabe que o mundo corporativo tem regras fundamentais para se chegar ao topo – mas será que o sistema foi manipulado para que as mulheres nunca vençam?

Ficar em silêncio não é uma opção, mas expor aquilo que descobriu vai abalar os alicerces de um mundo cheio de poder e glamour que não tem a certeza de querer abandonar.

Sobre a autora:
Erica Katz é o pseudónimo de uma licenciada da Universidade do Michigan e da Faculdade de Direito de Columbia, que iniciou a sua carreira numa das principais sociedades de advogados de Manhattan. Natural de Nova Jérsia, vive agora na cidade de Nova Iorque, onde trabalha noutra grande firma de advocacia. “O Clube dos Rapazes” é o seu primeiro romance.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**”O Clube dos Rapazes”, de Erica Katz (Edições Chá das Cinco, Wook):
https://www.wook.pt/livro/o-clube-dos-rapazes-erica-katz/25162019
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 05-08-2021.

12.08.2021: “Refém”, de Clare Mackintosh (ed. Cultura Editora, 400 páginas)

“Um thriller arrepiante.” Shari Lapena

Fonte: Cultura Editora

Sinopse:
Aperta o cinto… poderás sentir alguma turbulência

Um thriller claustrofóbico que te transporta até um voo arrepiante de vinte horas, sem escalas, de Londres a Sydney.

Mina está a tentar concentrar-se no seu trabalho como hospedeira de bordo em vez de pensar nos problemas da sua filha de cinco anos ou nas fissuras do seu casamento. Mas, assim que o avião se encontra a quilómetros de altitude, Mina recebe uma nota arrepiante de um passageiro anónimo. Alguém com a intenção de garantir que o avião nunca chegue ao seu destino. Alguém que precisa da colaboração de Mina e sabe exatamente como fazê-la obedecer.

Restam vinte horas para aterrar no destino. Muita coisa pode acontecer em vinte horas.

Sobre a autora:
Clare Mackintosh trabalhou doze anos na polícia, alguns deles, inclusive, no Departamento de Investigação Criminal. Em 2011, deixou a carreira na polícia para ser jornalista freelancer, escrevendo para publicações como o jornal The Guardian. Criadora do festival literário de Chipping Norton, atualmente dedica-se em tempo integral à carreira de escritora e vive em Cotswolds, na Inglaterra, com o marido e seus três filhos. Com mais de 2 milhões de exemplares vendidos mundialmente, os seus livros passaram mais de sessenta semanas nas listas de bestsellers do The Sunday Times e do The New York Times e foram traduzidos para quarenta idiomas.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**”Refém”, de Clare Mackintosh (Cultura Editora, Wook):
https://www.wook.pt/livro/refem-clare-mackintosh/25181960
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 12-08-2021.

12.08.2021: “Mentiras no Divã”, de Irvin D. Yalom (ed. Saída de Emergência, 384 páginas)

“Se Freud e Jung se juntassem para escrever um romance, duvido que tivessem surgido com uma melhor narrativa.” — Los Angeles Times

Fonte: Edições Saída de Emergência

Sinopse:
Depois do sucesso de “Quando Nietzsche Chorou”, Irvin D. Yalom regressa com uma história magistral sobre as virtudes e os princípios da terapia. Neste provocador romance, Yalom disseca a complexidade das emoções humanas através do relacionamento de três terapeutas e dos seus pacientes. Seymour, um terapeuta de renome, é adepto de técnicas pouco ortodoxas e inicia um jogo erótico com uma paciente quarenta anos mais nova.

Este tratamento alternativo parece tirá-la de uma rotina de promiscuidade e autoflagelação. Lash é um jovem psicanalista com uma fé inabalável na psicanálise e esconde o seu fanatismo sob a máscara da responsabilidade. Criando uma nova abordagem para as suas sessões – a honestidade brutal entre analista e analisado -, chega a resultados tão inesperados como perigosos. E cedo se vê vítima da própria cura.

Explorando estes e outros jogos de poder, “Mentiras no Divã” é uma história brilhante, inteligente e bem-humorada, em que os dilemas da lealdade se apresentam com clareza e vigor.

Sobre o autor:
Irvin D. Yalom (Washington, DC, Estados Unidos, 13 de junho de 1931) é um escritor americano, filho de imigrantes russos. Formou-se em Psiquiatria na Universidade de Stanford e tornou-se conhecido quando a sua obra “A Psicologia do Amor” alcançou a lista de livros mais vendidos nos Estados Unidos no final dos anos 80. Tem publicado entre nós “Quando Nietzsche Chorou”, “Mentiras no Divã”, “A Cura de Schopenhauer”, “De Olhos Fixos no Sol”, “Chamem a Polícia”, “A Psicologia do Amor”, O” Problema Espinosa”, “Criaturas de um Dia” e “Eu, Yalom”.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**”Mentiras no Divã”, de Irvin D. Yalom (Saída de Emergência, Wook):
https://www.wook.pt/livro/mentiras-no-diva-irvin-d-yalom/25181965
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 12-08-2021.

12.08.2021: “O Acordo da Rainha”, de Anne Bishop (Ed. Saída de Emergência, 432 páginas)

Fonte: Edições Saída de Emergência

Sinopse:
O regresso ao Mundo Negro, sensual e poderoso das Jóias Negras depois de um erro de juventude, a reputação do Senhor Dillon ficou arruinada, deixando-o vulnerável perante as jovens aristocratas que procuram um pouco de diversão.

Para recuperar a honra, necessita de uma ligação acima de qualquer suspeita. Acreditando que deixou para trás a nobreza que o desprezou, escolhe Jillian, uma jovem protegida de Lucivar Yaslana, o imprevisível Príncipe dos Senhores da Guerra de Ebon Rih.

Por outro lado, o casamento de Surreal SaDiablo e Daemon Sadi está a desmoronar-se. Este reconhece que algo não está bem, mas não percebe que ao reprimir a própria natureza para poupar a mulher está lentamente a destruir-se. Pior: a pessoa que o poderia ajudar desapareceu de todos os reinos, a Feiticeira, a única Rainha suficientemente poderosa para o controlar.

Enquanto Jillian vive as emoções do primeiro amor com Dillon, Surreal e Daemon lutam para salvar um casamento de pesadelo, enquanto Lucivar procura uma forma de manter a família a salvo…

Sobre a autora:
Anne Bishop vive em Upstate New York onde gosta de passar o tempo a jardinar, ouvir música e a criar mundos de grande imaginação. É autora de vários romances, incluindo a premiada “Saga das Jóias Negras”, bem como o “Mundo Efémera” e “Trilogia dos Pilares do Mundo”.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**”O Acordo da Rainha”, de Anne Bishop (Saída de Emergência, Wook):
https://www.wook.pt/livro/o-acordo-da-rainha-anne-bishop/25181963
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 12-08-2021.

12.08.2021: “Noiva à Experiência”, de Helen Hoang (Ed. Edições Chá das Cinco, 288 páginas)

“Uma história de amor cativante que dá voz a personagens pouco representadas.” — Booklist

Fonte: Edições Chá das Cinco

Sinopse:
O amor não precisa de palavras…

Khai Diep não tem sentimentos. Ou melhor, não consegue experienciar aqueles que são verdadeiramente importantes, como a dor ou o amor. Está convencido de que, de alguma forma, tem algo de errado. Contudo, a sua família sabe o que se passa – o autismo do jovem leva-o a processar as emoções de maneira diferente. Como Khai rejeita sistematicamente os relacionamentos, a sua mãe decide resolver o problema e voltar ao Vietname para lhe encontrar a esposa perfeita.

Esme Tran sente-se deslocada em Ho Chi Minh. A sua vida nem sempre foi fácil, pelo que, quando surge uma proposta de viajar para os Estados Unidos para conhecer um potencial marido, ela aproveita a oportunidade. No entanto, seduzir Khai tem os seus desafios, e as lições de amor de Esme parecem funcionar apenas com ela. A jovem está perdidamente apaixonada por um homem que acredita que nunca será capaz de retribuir o afeto de uma mulher.

Será Khai capaz de superar os limites do seu coração e compreender que existe mais do que uma forma de amar?

Sobre a autora:
Helen Hoang é aquela pessoa tímida que só fala quando é necessário. Leu o seu primeiro romance quando andava no 8.º ano e ficou viciada desde então. Em 2016, foi-lhe diagnosticada Perturbação do Espectro do Autismo, anteriormente conhecida como síndrome de Asperger. A sua experiência inspirou A Fórmula do Amor. Vive atualmente em San Diego, na Califórnia, com o marido, os dois filhos e o seu peixe.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**”Noiva à Experiência”, de Helen Hoang (Edições Chá das Cinco, Wook):
https://www.wook.pt/livro/noiva-a-experiencia-helen-hoang/25181966
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 12-08-2021.

19.08.2021: “Milagrário Pessoal”, de José Eduardo Agualusa (ed. Quetzal Editores, 200 páginas)

Fonte: Quetzal Editores

Sinopse:
Iara é uma jovem linguista portuguesa. O seu trabalho é recolher as palavras novas que aparecem todos os dias e transpô-las para o dicionário. Uma tarefa nem sempre gratificante – até porque, na maior parte das vezes, se trata de neologismos de pouco interesse, em geral oriundos do inglês. Mas um dia faz uma incrível descoberta: alguém, ou alguma coisa, está a subverter a nossa língua, a nível global, de forma insidiosa, porém avassaladora e irremediável. Maravilhada, perplexa e assustada, a jovem procura a ajuda de um professor, um velho anarquista angolano, com um passado sombrio — e os dois partem em busca de uma coleção de misteriosas palavras, que, a acreditar num documento do século XVII, teriam sido roubadas à «língua dos pássaros».

“Milagrário Pessoal” é um romance de amor e, ao mesmo tempo, uma viagem através da história da língua portuguesa, das suas origens à atualidade, percorrendo os diferentes territórios onde ela se fixou. Trata-se de uma fábula em torno da história da língua, refletindo sobre a natureza da palavra, sobre suas origens e o seu poder.

Sobre o autor:
Nasceu na cidade do Huambo, em Angola, em dezembro de 1960. Estudou Agronomia e Silvicultura. Viveu em Lisboa, Luanda, Rio de Janeiro, Berlim — e, atualmente, divide o seu tempo entre Lisboa e a Ilha de Moçambique. José Eduardo Agualusa é romancista, contista, cronista e autor de literatura infantil. Os seus romances têm sido distinguidos com os mais prestigiados prémios nacionais e estrangeiros; “O Vendedor de Passados” ganhou o Independent Foreign Fiction Prize, em 2004, e “Teoria Geral do Esquecimento” foi finalista do Man Booker International, em 2016, e vencedor do International Dublin Literary Award. “A Educação Sentimental dos Pássaros”, “A Feira dos Assombrados”, “A Sociedade dos Sonhadores Involuntários”, “Barroco Tropical”, “Catálogo das Sombras”, “Nação Crioula” e “O Paraíso e Outros Infernos” são mais algumas das suas obras de destaque.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
“Milagrário Pessoal”, de José Eduardo Agualusa (Quetzal Editores, Wook):
https://www.wook.pt/livro/milagrario-pessoal-jose-eduardo-agualusa/21076200
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 19-08-2021.

19.08.2021: “Você nunca mais vai ficar sozinha”, de Tati Bernardi (ed. Edições Tinta da China, 160 páginas)

Fonte: Edições Tinta da China

Sinopse:
Quando anunciou à mãe que estava grávida de uma menina, Karine, 35 anos, nascida numa família tacanha e disfuncional do Belenzinho, autora insatisfeita de guiões para cerimónias de prémios, hipocondríaca, ouviu esta frase: «Você nunca mais vai ficar sozinha.» Se a constatação lhe soa a promessa de felicidade eterna ou a condenação a uma prisão perpétua, varia consoante o dia e o exame marcado ao longo da sua rotina pré-natal.

Num romance com altas doses de humor, neurose e cinismo, e uma prosa inteligente e cheia de humanidade, Karine vai conversando com a sua enfermeira preferida sobre traumas de infância, o medo do fim – da juventude, da liberdade, da individualidade -, solidão, prisão de ventre, o peso do corpo e das expectativas, a intensa relação com a mãe e o complexo, assustador e comovente caminho para a maternidade.

Sobre a autora:
Nascida em São Paulo, em 1979, Tati Bernardi é colunista do jornal Folha de S. Paulo e guionista permanente da Rede Globo. Já escreveu guiões para telenovelas, séries, talk shows e longas-metragens, como o filme “Meu Passado Me Condena” (com interpretação de Fábio Porchat, Porta dos Fundos). Publicou os livros de contos “A mulher que não prestava” (2006) e “Tô com vontade de uma coisa que eu não sei o que é” (2008), e os juvenis “A menina da árvore” (2008) e “A menina que pensava demais” (2010). Mais tarde, surgiram “Depois a louca sou eu” (2016) e “Homem-objeto e outras coisas sobre ser mulher” (2018). “Você nunca mais vai ficar sozinha” (2020) é o seu livro mais recente.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**”Você nunca mais vai ficar sozinha”, de Tati Bernardi (Edições Tinta da China, Wook):
https://www.wook.pt/livro/voce-nunca-mais-vai-ficar-sozinha-tati-bernardi/25208338
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 19-08-2021.

24.08.2021: ”As Crónicas”, de António Lobo Antunes (ed. Dom Quixote, 592 páginas)

Fonte: Publicações Dom Quixote

Sinopse:
As crónicas reunidas no presente volume resultam de uma selecção feita a partir de mais de quatrocentos textos publicados pelas Publicações Dom Quixote em cinco volumes independentes entre 1998 e 2013. Inclui também uma seleção de crónicas inéditas em livro.

Numa escrita mais intimista do que a dos seus romances, as crónicas de António Lobo Antunes abordam uma vastíssima panóplia de temas que incluem não só a infância, a família, as mulheres, os amigos, os amores e os desamores, a vida e a morte, mas também relatos sobre pessoas anónimas encontradas ocasionalmente, apontamentos de viagem ou sobre pequenos restaurantes de bairro e, como não podia faltar, algumas notas sobre a escrita e os livros.

Com esta selecção de quase duas centenas de textos, pretendeu-se oferecer ao leitor uma amostra realmente abrangente da versatilidade e do talento de António Lobo Antunes como cronista.

Sobre o autor:
Nasceu em Lisboa, em 1942. Estudou na Faculdade de Medicina de Lisboa e especializou-se em Psiquiatria. Exerceu, durante vários anos, a profissão de médico psiquiatra. Em 1970 foi mobilizado para o serviço militar. Embarcou para Angola no ano seguinte, tendo regressado em 1973. Em 1979, António Lobo Antunes, publicou os seus primeiros livros, “Memória de Elefante” e “Os Cus de Judas”, seguindo-se, em 1980, “Conhecimento do Inferno”. Estes primeiros livros transformaram-no imediatamente num dos autores contemporâneos mais lidos e discutidos no âmbito nacional e internacional. Todo o seu trabalho literário tem sido, ao longo dos anos, objeto dos mais diversos estudos, académicos ou não, e dos mais importantes prémios, nacionais e internacionais, entre os quais se contam o Prémio Juan Rulfo, 2008, Prémio Camões, 2007, Prémio Jerusalém, 2005, Prémio Ovídio, 2003 e Prémio Europeu de Literatura, 2001. A obra de António Lobo Antunes encontra-se traduzida em inúmeros países e recentemente foi anunciada a sua edição na prestigiosa coleção Pléiade.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**”As Crónicas”, de António Lobo Antunes (Dom Quixote, Wook):
https://www.wook.pt/livro/as-cronicas-antonio-lobo-antunes/25208216
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 24-08-2021.

24.08.2021: “O Antropoceno – Uma Crítica”, de John Green (ed. Edições ASA, 320 páginas)

Fonte: Edições ASA

Sinopse:
O Antropoceno é o período de tempo que corresponde à era geológica que vivemos atualmente. A humanidade tem vindo a reconfigurar o planeta, bem como a sua biodiversidade, e John Green faz uma análise crítica dessa intervenção, usando para isso uma escala de cinco estrelas.

Nesta notável coletânea de ensaios, que surgiram a partir do seu revolucionário podcast, o autor bestseller fala-nos dos seus temas mais queridos. Desde obras de arte famosas ao cometa Halley, do ar condicionado aos gansos do Canadá ou à Internet, nada lhe escapa.

Divertidas e sofisticadas, as suas opiniões registam as contradições da condição humana. Enquanto espécie, somos a um tempo demasiado poderosos e desprovidos de poder, paradoxo que se evidenciou durante a recente pandemia, a qual – como não podia deixar de ser! – nos afastou e ao mesmo tempo nos uniu.

O talento de John Green como contador de histórias está bem patente ao longo das páginas deste livro. De coração aberto, o autor celebra, sem ironias, o ato de nos apaixonarmos pelo nosso mundo. Trata-se de um livro que não podia vir em melhor altura. O certo é que nos fará refletir sobre as nossas prioridades, e não deixará ninguém indiferente.

Sobre o autor:
Nascido a 24 de Agosto de 1977, em Indiana, os EUA, John Green é autor de vários bestsellers do The New York Times. Recebeu o Michael L. Printz Award e o Edgar Award. Foi por duas vezes finalista do L. A. Times Book Prize. Os seus livros foram traduzidos em mais de vinte línguas. John é também o cocriador, com o seu irmão Hank, do vlogbrothers, uma série de vídeos on-line que já foram visionados mais de 100 milhões de vezes.

Sugestões de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
“À Procura de Alaska”, de John Green (Edições ASA, Wook):
https://www.wook.pt/livro/o-antropoceno-uma-critica-john-green/25208209
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 24-08-2021.

31.08.2021: “Paixão”, de Maria Teresa Horta (ed. Dom Quixote, 112 páginas)

Fonte: Publicações Dom Quixote

Sinopse:
Poetisa do amor e do erotismo, Maria Teresa Horta sofreu em Novembro de 2019 o imenso desgosto da morte do seu marido, amor de uma vida, Luís de Barros.

Este livro é uma homenagem a esse amor. Intenso, catártico, apaixonante.

Sobre a autora:
Maria Teresa Horta nasceu em Lisboa, onde frequentou a Faculdade de Letras. Escritora e jornalista, é conhecida como uma das mais destacadas feministas portuguesas, estreando na poesia em 1960. A sua obra poética foi coligida em “Poesia Reunida” (Dom Quixote, 2009), obra que lhe valeu o Prémio Máxima Vida Literária. Publicou, em 2012, “As Palavras do Corpo – Antologia de Poesia Erótica”, no ano seguinte, “A Dama e o Unicórnio”, em 2016, “Anunciações,” vencedor do Prémio Autores SPA / Melhor Livro de Poesia 2017, “Poesis” (2017), “Estranhezas”, em 2018, vencedor do Prémio Casino da Póvoa/Correntes d’Escritas 2021, e a antologia “Eu sou a Minha Poesia” (2019), o seu mais recente livro. É ainda autora dos romances “Ambas as Mãos Sobre o Corpo”, “Ema” (Prémio Ficção Revista Mulheres) e “Paixão Segundo Constança H.”, e co-autora com Maria Isabel Barreno e Maria Velho da Costa, de “Novas Cartas Portuguesas”. Ao seu romance “As Luzes de Leonor” (2011), foram atribuídos os prémios D. Dinis e Máxima de Literatura.

Sugestão de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**“Paixão”, de Maria Teresa Horta (Dom Quixote, Wook):
https://www.wook.pt/livro/paixao-maria-teresa-horta/25208232
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 31-08-2021.

31.08.2021: “Navegação de Cabotagem”, de Jorge Amado (ed. Dom Quixote, 520 páginas)

Fonte: Publicações Dom Quixote

Sinopse:
Uma bebedeira com Pablo Neruda, uma reunião política com Picasso, uma visita ao bordel ou ao terreiro de candomblé com Carybé ou Dorival Caymmi, os últimos dias de Glauber Rocha, o pedido de casamento de Miúcha feito em nome de João Gilberto – dezenas de episódios são relembrados com ternura e humor por Jorge Amado, que escreveu “Navegação de Cabotagem” (1992) na véspera de completar oitenta anos.

Com a serenidade e a sabedoria de quem viveu as maravilhas e os horrores do século XX, o escritor passa em revista momentos marcantes da sua vida, das paixões de juventude à glória literária mundial, da militância política apaixonada à desilusão com o sonho comunista, transformado em pesadelo totalitário. O exílio, as amizades, os amores, a aprendizagem da cultura popular nas fazendas de cacau, nos prostíbulos, tudo se mistura nestas páginas vibrantes.

Este livro pode ser lido como uma sucessão de vívidas cenas de um filme ao mesmo tempo épico, lírico e cómico. Recordando com franqueza e fina autoironia a sua trajetória de êxitos e obstáculos, de encontros e equívocos, com Navegação de Cabotagem Jorge Amado insere-se a si próprio, por fim, na sua rica galeria de inesquecíveis personagens.

Sobre o autor:
Nasceu em Pirangi, Bahia, em 1912. Jorge Amado viveu uma adolescência agitada, primeiro, na Baía, no início dos seus estudos, depois no Rio de Janeiro, onde se formou em Direito e começou a dedicar-se ao jornalismo. Em 1935, Jorge Amado já se tinha estreado como romancista com “O País do Carnaval” (1931), “Cacau” (1933), “Suor” (1934), seguindo-se “Terras do Sem Fim” (1943) e “S. Jorge dos Ilhéus” (1944). Politicamente de esquerda, foi obrigado a emigrar, passando por Buenos Aires, onde escreveu “O Cavaleiro da Esperança” (1942), biografia de Carlos Prestes, depois pela França, pela União Soviética, entre outros lugares, acabando por regressar ao Brasil, depois de ter estado na Ásia e no Médio Oriente. Em 1951, recebeu o Prémio Estaline, com a designação de “Prémio Internacional da Paz”. Os problemas sociais orientam a sua obra, mas o seu talento de escritor afirma-se numa linguagem rica de elementos populares e folclóricos e de grande conteúdo humano, o que vai superar a vertente política. A sua obra tem toques de picaresco, sem perder a essência crítica e a poética. Além das já citadas, referimos, na sua vasta produção: “Jubiabá” (1935), “Mar Morto” (1936), “Capitães da Areia” (1937), “Seara Vermelha” (1946) e “Os Subterrâneos da Liberdade” (1952). Contudo, é com “Gabriela, Cravo e Canela” (1958), “Os Velhos Marinheiros” (1961), “Os Pastores da Noite” (1964) e “Dona Flor e os Seus Dois Maridos” (1966), que o romancista põe de parte a faceta politizante inicial e se volta para temas como a infância, a música, o misticismo popular, a turbulência popular e a vagabundagem, numa linguagem de sabor poético, humorista, renovada com recursos da tradição clássica ligados aos processos da novela picaresca. O seu sentimento humano e o amor à terra natal inspiram textos onde é evidente a beleza da paisagem, a tradição cultural e popular, os problemas humanos e sociais – uma infância abandonada e culpada de delitos, o cais com as suas misérias, a vida difícil do negro da cidade, a seca, o cangaço, o trabalhador explorado da cidade e do campo, o “coronelismo” feudal latifundiário perpassam significativamente na obra deste romancista dos maiores do Brasil e dos mais conhecidos no mundo. Fecundo contador de histórias regionais, Jorge Amado definiu-se, um dia, “apenas um baiano romântico, contador de histórias”. “Definição justa, pois resume o carácter do romancista voltado para exemplos de atitudes vitais: românticas e sensuais… a que, uma vez por outra, empresta matizes políticos…”, como diz Alfredo Bosi em “História Concisa da Literatura Brasileira”. Foi-lhe atribuído o Prémio Camões em 1994. Faleceu a 6 de Agosto de 2001.

Sugestões de Leitura:

Leitores que residem em Portugal:
**“Navegação de Cabotagem”, de Jorge Amado (Dom Quixote, Wook):
https://www.wook.pt/livro/navegacao-de-cabotagem-jorge-amado/25208231
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 31-08-2021.

31.08.2021: “Um Fogo Lento”, de Paula Hawkins (ed. Topseller, 336 páginas)

“‘Em Fogo Lento’ tem todas as reviravoltas que um grande thriller deveria ter, mas é também profundo, inteligente e imensamente humano… Paula Hawkins é a herdeira de Patricia Highsmith.” Lee Child

Fonte: Topseller

Sinopse:
Edição especial: Inclui mensagem da autora aos leitores portugueses.

O livro mais aguardado do ano.
O novo êxito da autora bestseller mundial.

Um homem é encontrado brutalmente assassinado em Londres, dentro de um barco, o que levanta uma série de questões sobre três mulheres que o conheciam.

Laura é a jovem problemática que foi vista pela última vez com a vítima. Carla é a tia inconsolável, ainda de luto por outro familiar falecido pouco tempo antes. E Miriam é a vizinha bisbilhoteira que encontrou o corpo coberto de sangue, mas que claramente esconde segredos da polícia.

Três mulheres com ligações distintas a este homem. Três mulheres consumidas pelo ressentimento que estão ansiosas por se vingarem do mal que lhes foi infligido. E, quando toca a vingança, mesmo as melhores pessoas são capazes dos atos mais terríveis.

Até onde irão estas mulheres para encontrar a paz de espírito?
E durante quanto tempo podem os segredos arder em fogo lento antes de irromperem em chamas descontroladas?

Com a mesma força com que cativou dezenas de milhões de leitores em “A Rapariga no Comboio” e “Escrito na Água”, Paula Hawkins desenvolve brilhantemente uma história inesquecível de segredos, assassínio e vingança.

Sobre a autora:
Foi jornalista na área financeira durante quinze anos, antes de se dedicar inteiramente à escrita de ficção. Nascida e criada no Zimbabué, Paula Hawkins mudou-se para Londres, em 1989, onde vive atualmente. “A Rapariga no Comboio”, a sua estreia literária, foi um verdadeiro fenómeno mundial com 23 milhões de livros vendidos em todo o mundo. A obra foi adaptada ao cinema pela Dreamworks em 2016, com Emily Blunt no papel principal. “Escrito na Água”, o seu segundo livro, foi igualmente um sucesso de vendas.

Sugestões de Leitura:

Leitores residentes em Portugal:
**“Um Fogo Lento”, de Paula Hawkins (Topseller, Wook):
https://www.wook.pt/livro/um-fogo-lento-paula-hawkins/24719060
** Obs: Livro em pré-venda. Envio a partir de 31-08-2021.

Também estamos no Instagram:
https://www.instagram.com/sonhandoentrelinhas/

Boas leituras!

About author

Articles

Criativo, Criador do Sonhando Entre Linhas, amo ler, e escrever. Gosto de ler quase todos os géneros literários. Amo autores como Valter Hugo Mãe, Fernando Pessoa, José Saramago, João Pinto Coelho, Itamar Vieira Junior, Jeferson Tenório, entre outros. Desde agosto de 2019, trabalho no Grupo LeYa Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *