FLIP 2021

Flip 2021 divulga maior parte da sua programação com presenças confirmadas de Alice Walker e Margaret Atwood

Em formato virtual pelo segundo ano consecutivo, e com uma abordagem mais radical perante edições anteriores, a Flip 2021, a mais importante festa literária do Brasil, divulgou a maioria da sua programação recentemente, onde nomes como Alejandro Zambra, Alice Walker, Conceição Evaristo, Djaimilia Pereira de Almeida, Elif Shafak, Han Kang e Margaret Atwood já estão confirmados.

Na última quinta-feira, foram conhecidos os convidados de 16 das 19 mesas da presente edição, que começa no próximo dia 27, com dois ou três debates todos os dias até 5 de dezembro.

A consagrada autora Margaret Atwood, responsável pela autoria do poderoso romance distopico “O Conto da Aia”, participará da festa virtual no dia 1, numa conversa com o cientista brasileiro Antonio Nobre. Quanto a Alice Walker, autora de “A Cor Púrpura”, conversa com a mineira Conceição Evaristo, autora de “Ponciá Vicêncio”, no dia 4. Adicionalmente, está programado um diálogo entre o líder indígena Ailton Krenak e o professor Muniz Sodré para o encerramento da festa no dia 5.

A presença indígena também abrirá o programa, com uma mesa de debate onde estarão Carlos Papá e Cristine Takuá. Depois, ela será seguida por uma conversa sobre literatura e plantas entre o curador Evando Nascimento e o botânico Stefano Mancuso, de “A Revolução das Plantas”.

Este ano, naquela que será a mudança mais radical da sua história, a festa decidiu não ter um autor homenageado. Em vez disso, terá um tema geral, que vai mesclar a literatura com o mundo vegetal e os saberes da floresta. Outro traço inédito é o facto de a curadoria, ao contrário das edições anteriores, ser composta por cinco pessoas e não por apenas uma.

“Tem uma história contada da abertura até ao encerramento. E queríamos que as mesas fossem as mais diversas possíveis, com cientistas conversando com a literatura, a poesia com a ficção.” — Hermano Vianna, curador da Flip 2021

Quando comparado com a edição de 2020, o número de conversas teve um aumento de 12 para 19, o que revela que a organização dobrou a aposta de que o público segue ávido para acompanhar a festa de maneira virtual, sem a brisa litorânea de Paraty. Além disso, todas as conversas poderão ser acompanhadas gratuitamente no site da Flip.

Também curadora, Anna Dantes vê beleza na “suspensão da Flip para o mundo virtual” enquanto o território paratiense estará ocupado por manifestações do povo guarani. “Há uma preocupação que o virtual esteja cansativo, algo com que todo o mundo da cultura tem que lidar”, afirma a educadora sobre os nove dias de programação online. “Mas isso conversa muito com o tempo vegetal, e tudo vai estar gravado e ficará depois disponível, quase como um livro.”

Outros nomes que já tinham sido desvendados anteriormente tiveram divulgadas as suas mesas. é o caso do romancista chileno Alejandro Zambra, que conversará com a poeta Ana Martins Marques. A angolana Djaimilia Pereira de Almeida dividirá mesa com a turca Elif Shafak. Já o filósofo italiano Emanuele Coccia conversará com a cantora Adriana Calcanhotto.

Estão ainda previstas duas mesas mais dedicadas à poesia: a que reúne os brasileiros Leonardo Fróes e Júlia de Carvalho Hansen à chilena Cecilia Vicuña e a que traz o mineiro Edimilson de Almeida Pereira e a francesa Véronique Tadjo, de ascendência marfinense.

Por um lado, David Diop, que ganhou o mais recente prêmio International Booker por “Irmão de Alma” (editado em Portugal sob o título de “De Noite Todo o Sangue é Negro” pela Relógio D’Água) participará ao lado de Micheliny Verunschk, que chamou a atenção com o seu romance “O Som do Rugido da Onça”. Por outro, Adriana Lisboa, autora do livro de poemas “O Vivo”, conversa com a coreana Han Kang, de autora de “A Vegetariana” e “Atos Humanos”, que fará a sua estreia em Paraty. Contudo, isso já não é o que ocorre com boa parte dos nomes mais conhecidos da festa, dado que, no mínimo, 12 convidados da programação divulgada são figuras com presenças em outras edições. Alguns, como Calcanhotto e Krenak, estiveram na última festa presencial, em 2019.

Veja abaixo a programação que foi divulgada até agora.

Sábado, 27/11

16h (19h em Lisboa)
Mesa 1: Nhe’éry Jerá (Abertura)
Com Carlos Papá e Cristine Takuá

18h (21h em Lisboa)
Mesa 2: Literatura e plantas
Com Stefano Mancuso e Evando Nascimento
Mediação: Prisca Agustoni

Domingo, 28/11

16h (19h em Lisboa)
Mesa 3: Naturalismo e violência

Com Micheliny Verunschk e David Diop
Mediação: Milena Britto

18h (21h em Lisboa)
Mesa 4: Folhas e verbos
Com Véronique Tadjo e Edimilson de Almeida Pereira
Mediação: Joselia Aguiar

Segunda, 29/11

18h (21h em Lisboa)
Mesa 5: Plantas e cura
Com João Paulo Lima Barreto e Monica Gagliano
Mediação: Mônica Nogueira

20h (23h em Lisboa)
Mesa 6:
Em definição

Terça, 30/11

18h (21h em Lisboa)
Mesa 7: Zé Kleber: Micélios
Com Jorge Ferreira e Merlin Sheldrake
Mediação: Alice Worcman

20h (23h em Lisboa)
Mesa 8: Tecnobotânicas
Com K. Allado-McDowell e Giselle Beiguelman
Mediação: Ronaldo Lemos

Quarta, 1/12

18h (21h em Lisboa)
Mesa 9: Fios de palavras
Com Leonardo Froés, Júlia de Carvalho Hansen e Cecilia Vicuña
Mediação: Ludmila Lis

20h (23h em Lisboa)
Mesa 10: Utopia e distopia
Com Margaret Atwood e Antonio Nobre
Mediação: Anabela Mota Ribeiro

Quinta, 2/12

18h (21h em Lisboa)
Mesa 11: Botânicas migrantes
Com Djaimilia Pereira de Almeida e Elif Shafak
Mediação: Mirna Queiroz

20h (23h em Lisboa)
Mesa 12: Políticas vegetais
Com Kim Stanley Robinson e Eliane Brum
Mediação: Lucia Sá

Sexta, 3/12

18h (21h em Lisboa)
Mesa 13:
Em definição

20h (23h em Lisboa)
Mesa 14: Vegetalize
Com Adriana Lisboa e Han Kang
Mediação: Guilherme Henrique

Sábado, 4/12

16h (19h em Lisboa)
Mesa 15:
Em definição

18h (21h em Lisboa)
Mesa 16: Em busca do jardim
Com Alice Walker e Conceição Evaristo
Mediação: Djamila Ribeiro

20h (23h em Lisboa)
Mesa 17: Ouvir o verde

Com Alejandro Zambra e Ana Martins Marques
Mediação: Rita Palmeira

Domingo, 5/12

16h (19h em Lisboa)
Mesa 18: Metamorfoses
Com Emanuele Coccia e Adriana Calcanhotto
Mediação: Cecilia Cavalieri

18h (21h em Lisboa)
Mesa 19: Cartografias para adiar o fim do mundo
Com Ailton Krenak e Muniz Sodré
Mediação: Vagner Amaro

Aceda ao site oficial da FLIP e fique for dentro de tudo:
https://www.flip.org.br/

Foto: Alice Walker por Scott Campbell/Divulgação

Também estamos no Instagram:
https://www.instagram.com/sonhandoentrelinhas/

Boas leituras!

About author

Articles

Criativo, Criador do Sonhando Entre Linhas, amo ler, e escrever. Gosto de ler quase todos os géneros literários. Amo autores como Valter Hugo Mãe, Fernando Pessoa, José Saramago, João Pinto Coelho, Itamar Vieira Junior, Jeferson Tenório, entre outros. Desde agosto de 2019, trabalho no Grupo LeYa Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *